FAÇA O SEU LOGIN
Introduza o seu anci nome de utilizador.
Introduza a senha associada ao seu nome de utilizador.
|
Disseminação de Enterobacteriaceas resistentes aos carbapenemos- o papel da transferência de doentes

Spread of Carbapenem-Resistant Enterobacteriaceae among Illinois Heathcare Facilities: the role of Patient Sharing. Ray MJ e col. Clinical Infectious Diseases 2016; 63(7) 889-893

Os Microrganismos com padrões de resistência alargados (XDRO) são hoje uma ameaça à Saúde Pública devida à limitação nas opções terapêuticas e a facilidade com que se transmitem entre doentes e se disseminam a nível regional/nacional devida a transferência de doentes colonizados, entre instituições. Estes XDRO (que incluem Enterobacteriaceae resistentes a Carbapenemes) estão associadas a taxas de mortalidade de até 50% nos doentes infetados. Modelos matemáticos demonstram que, para controlar a sua disseminação, são necessárias intervenções coordenadas a nível regional. A avaliação de risco de exposição a Enterobacteriaceae resistentes a Carbapenemes (CRE) de cada Instituição é essencial para definir a vigilância epidemiológica e as medidas de intervenção.

No Estado dos EUA onde decorreu este estudo, a notificação de CRE é obrigatória (também em Portugal, a notificação destas bactérias é obrigatória tanto para os laboratórios públicos como privados).

Os autores estudaram o papel da circulação de doentes entre Instituições de diferentes níveis de cuidados para determinar o seu papel na disseminação de CRE. Para isso, analisaram a exposição de cada Instituição a doentes vindos de outras instituições nomeadamente de hospitais agudos de longa duração (que não existem entre nós e que são hospitais que tratam de doentes críticos crónicos com internamentos de longa duração e que são considerados de risco elevado para aquisição de CRE).

As fontes de informação para o estudo foram os registos das notificações obrigatórias e uma análise da rede social que incluiu todas as admissões e altas para verificar com que frequência se verificavam transferências de outras instituições.

Observaram taxas mais elevadas de CRE nas Instituições em que havia maior exposição a doentes transferidos doutras instituições embora se verificassem diferenças entre os hospitais das grandes cidades em relação aos hospitais em áreas mais rurais. A transferência/partilha de 4 ou mais doentes das instituições (num período de três meses) com internamentos de longa duração estava associado a taxas mais elevadas.

Comentário

A transferência entre instituições é um ponto crítico em qualquer programa de intervenção para controlo de microrganismos multirresistentes. A interação entre profissionais, de cada profissional com diversos doentes etc. variam por serviço e por instituição e há hospitais que recebem mais doentes transferidos do que outros.  Este estudo demonstra, de forma muito clara, de que a transferência de doentes internados de longa duração de e para hospitais de agudos está associada a taxas mais elevadas de MMR. Por esse motivo, qualquer programa de intervenção que seja restrito a apenas cada instituição individual estará votada ao fracasso. Alguns autores sugerem que as políticas de rastreio devem ser estabelecidas a nível regional e não apenas em cada hospital individualmente.

09 Nov 2016